segunda-feira, 23 de maio de 2011

Dor de cabeça

E, se você parar para pensar, por que existe tudo isso? O mundo ficou tão de um jeito, que todos andamos desconfiados. De anúncios, de jornais, de objetos, de pessoas, de nós mesmos. Nem sequer nos acreditamos mais. São teorias de conspiração para dar e vender. É o sistema incentivando a ignorância de um lado, são mensagens subliminares machistas de outro, uma manipulação de informação do caralho, e... ah, é tão confuso. Não da pra saber o que é verdade e o que não é. Ou sequer saber se existe verdade e mentira mesmo. Não da pra mais nem ter certeza se aquela ideia que você teve foi sua mesmo ou se alguém te induziu à ela. E o pior de tudo é você ter que ficar pensando nisso. 
Não sei se dá para entender, pois estou botando a primeira coisa que está vindo na minha cabeça, mas basicamente: chegamos num ponto de chegar uma notícia sobre a morte de alguém e ficarmos na dúvida sobre aquilo ser real. E não por paranoia, mas porque precisamos duvidar. Se não, somos levados. Levados ainda mais do que já estamos sendo.
E, sei lá, me dói um pouco saber que eu tenho que desconfiar do próprio modo em que vivo, do governo que me rege, da mídia que me informa. Desconfiar do meu próprio mundo.
Será que em alguma época viver já foi fácil? E, assim, viver mesmo. Não falando de escola, trabalho - coisas que, vejam só, se tornaram banais diante de todo o resto. Falando de viver mesmo. Sem precisar se preocupar com seus próprios pensamentos.
E me dói ainda mais quando vem aquela vergonha de falar o que pensa. Por medo de ser julgado. E julgado pelos dois lados, se é que me entendem.
Eu só... não me sinto muito livre. De nada, de ninguém. Nem do "sistema", nem da "oposição".
Será que já existiu um tempo em que a única liberdade que alvejávamos era a dos pais?
Aargh.


2 comentários:

beija-flor disse...

falou tudo, eu entendo, da muita dor de cabeça né?

Hide and Seek disse...

Viver é foda, morrer é difícil D:

Eu... sei lá, fico pensando que só vou poder ajudar de verdade o mundo quando eu estiver educando meu filho. Mas queria poder fazer mais.

Eu entendo essa sensação, mas em mim é mais algo no peito que na cabeça.

Beijo, Teté =/